Chamando todas as Manas!

A hora é agora!

Nesta quarta-feira, dia 13/02, o STF vai decidir se o preconceito contra pessoas LGBTI+ deve se tornar crime no Brasil, assim como discriminação contra cor e religião. Em países como a Suécia e Canadá, leis como essa já foram aprovadas e os preconceituosos não tem vez. Infelizmente, o Brasil anda a passos lentos, usando um cabresto segurado pelos setores conservadores que ainda insistem em cuidar da vida dos outros.

Já imaginaram que escândalo seria proibir manifestações de ódio contra pessoas LGBTI+ que nitidamente são condenadas pelo livro mais antigo do mundo? É pensando assim que alguns cristãos (eu chamo de falsos cristãos) lutam com unhas e dentes para que a homofobia não seja criminalizada. Um exemplo maravilhoso que temos da “pessoa de bem” atual é o Pastor Marco Feliciano que em sua rede social prestou um desserviço à sociedade ligando a criminalização da homofobia com o fim da liberdade religiosa.

Eu levei um tempo pra entender tamanha bobagem, por isso vou te poupar e resumir o que o deputado acredita e defende. A criminalização da homofobia proíbe discursos de ódio (físico e verbal) contra pessoas LGBTI+ o que dificultaria a vida muitas igrejas que em nome da defesa do que consideram tradicional – portanto correto – desprezam as diferenças, incentivando assim a segregação da comunidade. Ou seja, acabaria com o repertório dessa galera abençoada e também iria contra a Bíblia – Claro, ignorando o principal mandamento que Jesus deixou que é o A-M-O-R ao próximo.

** É importante ressaltar que dentro dos círculos religiosos, evangélicos, cristãos, católicos, existem pessoas que respeitam e lutam por um mundo mais justo, mais fraterno. Para os que fecham os olhos ao diferente, para quem abomina o próximo simplesmente por ser quem é, independente da corrente religiosa, credo, ou que for, o seu preconceito é um dos grãos de areia que formam a praia da injustiça e ela é enorme. **

O que esse povo ignora é que tem gente morrendo simplesmente por existir! Nenhum tipo de morte é justificável, mas é inadmissível fecharmos os olhos para uma comunidade que é morta diariamente por uma questão de SER.

E isso não é mimimi!

De acordo com o Grupo Gay da Bahia, uma associação de defesa dos direitos humanos voltada a comunidade LGBTI+, em 2018 perdemos 420 irmãos e irmãs.

Para você ter uma ideia, a cada 20 horas um LGBT é morto no Brasil ou então se suicida, pois não suporta o peso da discriminação em forma de bullying e violência física. De acordo com o relatório, o país que mais mata nossa comunidade bateu o recorde em 2017, com 445 vítimas de homolesbotransfobia. O estado do Paraná é o 5º que mais matou LGBTs em 2018, com 23 mortes.

Se pararmos para analisar, esses números podem ser bem maiores e, infelizmente, acreditamos que são. O Grupo Gay da Bahia existe desde 1980 e realiza essas estatísticas por meio de pesquisas em obituários, mas infelizmente nem todos os crimes de ódio contra pessoas LGBT podem ser identificados, justamente pela falta dessa criminalização e de um registro específico.

Chegou a hora de nos desvencilharmos desse cabresto do falso moralismo, baseado em uma religião criada por homens para dominar homens. Enquanto houver amor em nossa sociedade, continuaremos lutando pelo direito de vivermos livres e coloridos. Nós resistiremos sempre e você pode ajudar, assinando e compartilhando a petição online “A hora é agora”, disponível em https://www.stf.alloutbrasil.org/#block-11009

Como diz nossa querida Rupaul, “The time has come”, em tradução livre “vamo agi, bobinha!”


*O relatório Mortes Violentas de LGBT+ no Brasil 2018 está disponível no link https://bit.ly/2GFnx6c

2 Replies to “Chamando todas as Manas!”

    1. Oi, Gustavo! Esperamos que prevaleça o bom senso, a humanidade e as tristes estatísticas que assolam a comunidade LGBTI+.
      Homofobia e Transfobia #écrimesim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *