Histórias de uma Curitiba Plural

TODOS OS OLHOS PODEM SANGRAR (poema eroto-patológico)

A fina película que recobre a esclera é ricamente vascularizada, às vezes o mínimo toque desencadeia sufusões na superfície
Ontem, relembrando o tempo em que eu irrigava teu olho com meu soro fisiológico, a conjuntiva explodiu

Maurício Popija

O inventor do pas de deux solo. Nas horas vagas, cultiva pequenas plantas e desafetos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo