Histórias de uma Curitiba Plural

Serras de Azeitão

A vida devia ser como aquelas séries pré-netflix que passavam freeze-frames dos melhores momentos do episódio no final e então a gente se convencia de que tinha mesmo sido bom e até ria de novo com as piadas. Isso a cada dois meses, claro, não a xaropada dos highlights depois que o carretel já tá todo desenrolado.
Quero dizer que não vai ser aquela briga às três da manhã por causa do buraco na coberta que vai foder com tudo, meu amor, o resto é muito mais.
Chega um ponto em que qualquer respingo no assoalho vira justificativa, mas a verdade é que só te masturbei com o cotovelo porque as minhas mãos tavam cheias de formigas.
Nunca mais ameaça sentar no trilho do trem comendo maltballs, tá bom?

Maurício Popija

O inventor do pas de deux solo. Nas horas vagas, cultiva pequenas plantas e desafetos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo