Plataforma oferece filmes brasileiros contemporâneos e alerta para a Cinemateca

Eis (mais) uma boa alternativa para consumir cinema nacional. No ar desde 13 de maio, a Embaúba Play é uma plataforma focada na produção brasileira contemporânea, com mais de 300 títulos, com destaque para obras inéditas em circuito comercial.

Em cartaz até 12 de junho está a mostra gratuita Embaúba Play, com 40 títulos divididos em quatro programas: “Também Somos Rascunhos”, com obras biográficas (Ewerton Belico); “A Fluidez da Forma – Cinema Indígena Experimental” (Júnia Torres); “Orgia ou O Cinema que Deu Cria”, com filmes que flertam com o cinema de invenção (Victor Guimarães); e “Testemunhar, Fabular, Existir – Modulações de um Quilombo”, com curtas-metragens recentes de realizadores negros (Tatiana Carvalho Costa).

Em “A Cor Branca”, de Afonso Nunes, habitantes de uma cidade que convivem com máquinas de extração mineral.

Vale a pena assistir, por exemplo, “Mamata”, de Marcus Curvelo, vencedor do prêmio de melhor curta-metragem no Festival de Brasília de 2017 – filme cuja sinopse realista é “Brasil, eu desisto”; “O Clube dos Canibais”, de Guto Parente, longa de terror irônico que transforma a elite brasileira numa subespécie canibal (não metaforicamente); “Cantos dos Ossos”, filme de Jorge Polo e Petrus de Bairros que trata do “vampirismo à brasileira” como uma questão de classe; e “La Llamada”, curta de Gustavo Vinagre (de “A Rosa Azul de Novális”) que retrata a instalação, pela primeira vez, de um telefone na casa de Lázaro Escarze, um cubano revolucionário de 87 anos. “Para quem ele vai ligar?”

Completam a programação da mostra inaugural 10 pré-estreias de títulos inéditos no circuito comercial, como “Espero que Esta te Encontre e Que Estejas Bem”, de Natara Ney; “Kevin”, de Joana Oliveira e “Eu, Empresa”, de Leon Sampaio e Marcus Curvelo. Dentre os filmes em pré-estreia, dois são totalmente inéditos e terão sua primeira exibição na plataforma: “Aqui Jaz teu Esquema”, de Gabraz Sanna e “Brizolão”, de Jéferson.

“O Clube dos Canibais”, de Guto Parente,

Para os filmes do catálogo permanente, o aluguel é avulso e não há necessidade de cadastro ou assinatura. O valor é de cerca de R$8 por filme, por um prazo de 72 horas. Entre os diretores e diretoras com obras selecionadas, estão André Novais Oliveira (“Ela Volta na Quinta”), Gabriel Mascaro (“Boi Neon”, “Divino Amor”), Juliana Rojas (“Sinfonia da Necrópole”) e Kleber Mendonça Filho (“Bacurau”, “Aquarius”).

No encerramento da mostra, será exibido o média-metragem “A Grávida da Cinemateca”, dirigido por Christian Saghaard, em programa especial, como forma de se chamar a atenção para o descaso do Governo Federal com a Cinemateca Brasileira.

A Embaúba Play é um projeto realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte, com patrocínio da UNI BH.

Cristiano Castilho

Cristiano Castilho é jornalista formado pela UFPR e pós-graduado em Jornalismo Literário pela ABJL. É autor do livro "Crônicas da Cidade Inventada e Outras Pequenas Histórias" (Arte & Letra).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo