Histórias de uma Curitiba Plural

Deus já nasceu órfão

Deus é perfeito.
Dele, portanto, só se esperam decisões impecáveis.
O que ninguém percebe é a sobrecarga psíquica que esse excesso de expectativa representa para Nosso Senhor: ao mínimo deslize, o trabalho de milênios desmorona e a Sua reputação vai pra cucuia (e todo mundo sabe que uma reputação que viaja pra cucuia não volta nunca mais).
Fazer confidências a um amigo é das formas mais baratas de drenar os vapores que nos envenenam as entranhas, mas isso nunca esteve acessível ao Criador: Deus não tem pares, Deus é a solidão em estado bruto.
Contratar uma psicóloga e despejar cinquenta minutos de insegurança no ouvido da moça poderia ser uma alternativa, mas também isso não é possível, pois passaria uma mensagem de fragilidade aos subordinados (além de custar os olhos da cara, e os tempos são de contenção)
Então Ele resolve tomar o único caminho que Lhe resta, e começa a abusar do conhaque de alcatrão São João da Barra.
Agora o Todo-Poderoso passa os dias doidão pelo céu, com um cigarrinho apagado entre os lábios e os neurônios anestesiados pela bebida.
E é por isso que o planeta tá virado nesse chapéu velho.

(TP)

Maurício Popija

O inventor do pas de deux solo. Nas horas vagas, cultiva pequenas plantas e desafetos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo