Histórias de uma Curitiba Plural

CARTA AO DR CHAMBEL SANTOS

Prezado Sr Santos,


É com o coração em cólicas que lhe respondo. O seu irmão, pesem embora aquelas particularidades todas, sempre foi pessoa de minha especial estima.

Não fosse soar a exagero, dir-lhe-ia que o tinha (e tenho) assim como a um filho. Havemos de retirá-lo da jaula, não se desespere.

Quem nunca sofreu um encarceramento injusto que arraste a primeira bola de ferro presa ao tornozelo. Eu, sempre cumpridor dos meus deveres com a lei, pai amantíssimo, marido insaciável, já estive atrás das grades seis vezes, e felizmente nunca me faltou quem lá levasse os cigarros e as revistas suecas.

Apreciei mesmo muito o seu desvelo com o desgraçado, isso é tão raro neste molho de sangue & vísceras em que vivemos embebidos que até me fez pingar o nariz quatro vezes: gente aveludada, neste mundo tão cheio de quinas vivas, não é coisa para desprezar.

Por fim, digo-lhe que me alegrou sabê-lo, a si, engenheiro, sou-o também, mas engenheiro de relações, verifico trincas nas ancas e construo pontes de afeto entre corações em ruína.

Esteja em casa.

Tê-lo em substituição ao mano, como diretor interino de verificação de conformidade dos rolamentos, ser-me-á motivo de nada menos do que jucundidade no seu grau maior de pureza.


Maurício Popigas

Presidente da Fundição LS

Maurício Popija

O inventor do pas de deux solo. Nas horas vagas, cultiva pequenas plantas e desafetos.

Um comentário em “CARTA AO DR CHAMBEL SANTOS

  1. prezado engenheiro e senhor Maurício d’Popigas
    du d’pipita, e assim,

    eu, d’távora, detentor d’uma procuração com os mais amplos poderes para todos os actos e para todos os efeitos, legais e outros, cabe-me acusar a recepção desta sua amável tão simpática carta, em nome do senhor d’Santos, cuja inequívoca solidariedade, tenho a certeza de que o teria enchido daquela espécie de alegria que, nos dias que correm, já não se usa por ser um luxo.

    o senhor Santos, ex distinto e superior membro dos corpos sociais da Fundição LS, SA, cujos destinos vossa excelência
    o senhor engenheiro, como presidente, tem conduzido com altíssimo sentido de responsabilidade elevando o seu objecto social às mais altas temperaturas espirituais, saiu de casa faz mais de um ano para aviar uma receita e debalde, nunca ninguém mais o viu.

    ele que, como o senhor engenheiro sabe, era louco por triângulos isósceles e relógios de cuco suíços, deixou-me uma resma de formulários para catalogar e um gato tímido que nada mais faz do que comer e cagar e abanar a cabecinha como que a dizer: sim. tábem.
    o que, tudo junto, tem dado comigo em doido
    passo os dias às voltas com as colecções do senhor bacharel d’Santos e a tratar do felino.

    Postas que estão as coisas nestes termos, resta-me reiterar ao senhor engenheiro presidente da Fundição LS, SA
    Maurício d’Popigas du d’pipita, e assim, os meus mais cordiais cumprimentos e, em nome do senhor d’Santos, os seus protestos de sólida indestrutível
    amizade

    chambel d’távora, procurador

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo