Entrevista com o tradutor e jornalista Érico Assis

Escrever sobre quadrinhos pode ser uma coisa que muitos querem, mas talvez nem todos consigam tão bem quanto Érico Assis. O tradutor, jornalista e ainda crítico da área, é um dos especialistas mais marcantes do Brasil sobre o meio. Não a toa, sua coluna sobre HQ no Blog da Companhia foi um dos primeiros do país em locais maiores a ganhar reconhecimento, isso debatendo sobre a nona arte.

Agora, aproveitando todo o acervo de material e também sua bagagem, Érico lança “Balões de Pensamento”, uma reunião de textos de sua autoria tratando de quadrinhos (para apoiar no Catarse, é só clicar aqui). É uma espécie de amalgama da sua trajetória lidando com o meio durante o tempo. Da mesma forma, é também uma lembrança pessoal de textos que marcaram momentos da vida do autor como leitor e pessoa.

A obra ainda vai demorar um pouco para ser lida a aqueles que apoiarem – a previsão de divulgação é para dezembro desse ano. No entanto, conversamos com o tradutor sobre a ideia de lançar um livro sobre quadrinhos e se ele planeja ainda trazer mais.

Cláudio Gabriel: Como surgiu a ideia de transformar seu contato com os quadrinhos de muitos anos em um livro?

Érico Assis: Olha, eu sempre quis publicar um livro sobre quadrinhos. Já publiquei vários textos em jornais, sites, revistas, já colaborei com alguns livros, mas nunca tive um livro meu. Então tem muito da vaidade de, depois do livro, poder colocar “Érico Assis, autor de Balões de Pensamento” na bio.

CG: O que você sente que o livro pode trazer para os fãs de HQs?

EA: Leio bastante sobre quadrinhos e os bons textos que eu li me ajudaram a pensar o que eu gosto nas HQs, me ajudaram a descobrir novas coisas para ler (e reler), a conhecer bastidores de obras, a conhecer a vida dos autores. Espero que os meus textos no livro tenham essa mesma serventia pros leitores.

CG: Qual o texto que é mais seu xodó, em que mais teve orgulho de ter escrito?

EA: Todos deram trabalho e todos saíram de algum momento ou inspiração que foram especiais. Tem um que escrevi quando minha filha nasceu que deve ser o xodó. Tem outro sobre um garoto do Alaska que montou um projeto para justificar por que gibi contava como leitura – que é uma história que eu considero inspiradora, e depois transformei numa palestra. E tem aquela defesa da categoria quadrinhos no Jabuti, que demorou, mas surtiu efeito. Tem também os depoimentos de leitores, tem “O Método Yusa para Tradução de Quadrinhos”.

CG: O livro teve um apoio na plataforma de financiamento coletivo muito rápida. Como se sente com essa quantidade de pessoas querendo ter contato com seu trabalho?

EA: Obrigado por dar este ponto de vista. Do lado de cá, a perspectiva é outra: faltam 44 dias de campanha, não chegamos no 100% e a sensação é de que todos meus amigos e pessoas que comprariam por obrigação moral já compraram. Quem mais vai se interessar? Não sei se todo mundo passa por isso nas campanhas de financiamento coletivo, mas é minha primeira vez e estou aqui comendo as falanges.

Por outro lado, faz algum tempo que ouço gente recomendando que eu publique um livro – inclusive este exato livro, uma coleção das colunas do Blog – e que comprariam. Fiquei muito contente em descobrir que estavam falando sério.

CG: A obra é um compilado de textos seus feitos ao longo do tempo. Já pensa em, no futuro, trabalhar em algo feito totalmente do 0?

EA: Sim. Cheguei a começar algumas coisas nesse sentido e é possível que, depois desta primeira experiência, eu me aventure a lançar material inédito em livro. A primeira ideia é escrever um livro sobre tradução de quadrinhos… [N.E.: Bom, vamos torcer para isso acontecer logo, né?]

Notícia da semana. Aproveite a estadia no Catarse para apoiar a obra também de Eric Peleiras, artista que já falamos algumas vezes aqui no blog. Ele divulga a campanha de “Alice”, nova produção sua com Luke Ross nos desenhos e Marco Lesko nas cores.

Como a definição de Eric diz: “Esta é uma história sobre encontrar seu lugar no mundo, onde quer que ele seja”. Se eu fosse você já aproveitava. Apoie aqui.

Claudio Gabriel

Apaixonado por cultura pop no geral. Repórter da rádio CBN e editor-chefe do site Senta Aí.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo