3 quadrinhos brasileiros para ler durante a quarentena (Parte 1)

Continuando as listas de quarentena, resolvi essa semana inovar. Assim, nessa e na outra, irei fazer duas listas com 3 quadrinhos brasileiros para serem lidos. A graça de hoje é que serão APENAS materiais que estão disponíveis digitalmente para serem lidas, algumas pelos próprios autores para ajudar na quarentena da população. Dessa forma, aproveite a oportunidade para ler grandes HQs e, obviamente, ficar em casa.

. Reparos

Uma das publicações mais recentes do quadrinista Brão Barbosa, que se tornou em um dos nomes mais interessantes da produção independente quadrinística nacional. Dentre suas outras obras estão “Feliz Aniversário, Minha Amada” e “Jesus Rocks”, materiais que também podem ser lidos no site de Brão gratuitamente.

Porém, abordando aqui “Reparos”, acompanhamos uma história de uma menina apaixonada por ciência, que começa a desenvolver uma amizade por um velho ranzinza. A trama se desenvolve de uma maneira sempre a levar para uma emoção única, sempre na relação entre esses dois personagens. Apesar de simples, ela leva para um caminho bem mais simples e até singelo que seus outros trabalhos, o que pode impressionar a alguns. Em tempos de confinamento, uma emoção genuína faz falta. E essa HQ pode fazer isso a você.

. A Insustentável Leveza do Ser

Não, não estamos falando do livro de Milan Kundera, um dos livros mais clássicos da literatura mundial. Estamos abordando um curtíssimo quadrinho de Laerte, que mostra sua genialidade como poucos. É, sem sombra de dúvidas, uma das produções narrativas em quadrinhos mais clássicas e importantes para o cenário brasileiro. Além de tudo, o mais incrível é como a autora usa desse estilo de narrativa para explorar novas maneiras de como fazer HQs.

Laerte ainda usa e abusa dos padrões sociais para descontruí-los de uma maneira que talvez só a autora tenha conseguido no período em que “A Insustentável Leveza do Ser” foi lançada, nos anos 80. Ela pode ser lida aqui.

. Aos Cuidados de Rafaela

Apesar de lançada em 2014, ouso falar que esse é um dos futuros clássicos da nona arte nacional. Pode ser um pouco prepotente ou até tentar prever algo com uma complicação gigantesca dentro da atual produção de quadrinhos brasileira. Porém, Marcelo Saravá e Marco Oliveira geram uma HQ com diversos contornos bem mais complexos do que realmente tem.

Na história, acompanhamos um homem que busca uma cuidadora para sua mãe, que possui problemas de relacionamento com diversas mulheres. Certo dia, Rafaela aparece e começa a fazer sua cabeça, pela paixão sexual que gera nele. A partir disso, uma disputa de egos, paixões e também dominação se inicia.

É uma produção que consegue brincar com os diversos caminhos da narrativa visual, desde o uso complexo de cores para entender os personagens, até a mistura de realidade/mentira/sonho. Definitivamente, um material que vale ser lido (e pode ser aqui), sem ser esquecido.

O desenhista Albert Uderzo.

Notícia da Semana. Morreu o desenhista Albert Uderzo, de 92 anos, um dos criadores do Asterix e Obelix, devido a uma parada cardíaca. O anúncio foi feita pela família nessa terça-feira, dia 24. Ele, junto de René Goscinny, fez história com os personagens franceses criados em 1959. HQs podem ser adquiridas aqui.

Claudio Gabriel

Apaixonado por cultura pop no geral. Repórter da rádio CBN e editor-chefe do site Senta Aí.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo