Tomara que Deus não ponha cenoura na sopa

O céu dos ateus é barra, mano.
Sempre que chega uma excursão, Deus pede à secretária que sirva um chá-de-cadeira concentrado pra galera e fica escarrapachado no trono lixando as unhas pra deixar bem claro quem é que expede os regulamentos e manda na firma.
Quando avalia que já tá OK, Ele abre, teatral, a cortina de veludo vermelho e

– Há Deus, seus ateus, adeus

Nosso Senhor então puxa a alavanca e o alçapão sob o pé dos incréus se abre pro caldeirão ardente.

Hoje vai ter sopa de novo, pensa o criador de todas as coisas.

(TPG)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *