Em que Pietro Juan Garcia Porra y Porras testa os limites do livre-mercado

Meu girassolzinho doidão,

Tu sabes que, à exceção dos sete demoninhos que plantei no teu ventre, só gosto de crianças quando estão de castigo ou dormindo.
Mas hoje, aqui no elevador do hotel, encontrei dois fedelhos tão adoráveis que logo pensei em embrulhar em papel crepom e arranjar um canto na mala pra levá-los pra ti. Um deles elogiou os pêlos da minha orelha, e eu sempre fraquejo quando falam da minha orelha.
Ofereci vinte mil euros por cada um ao pai dos garotos, trinta e cinco mil pelos dois.
O filhadaputa, macaco velho no comércio, fez cara de ofendido, mas aposto que amanhã cedo aparece um bilhete debaixo da porta combinando a forma de pagamento.
Prepara-te: mais duas boquinhas logo chegam ao nosso château.

Sempre teu,

Pietro Juan Garcia Porra y Porras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *