O coração do mundo, essa pedra de gelo

Depois de perder o emprego e não conseguir mais pagar o aluguel, fui despejado do apartamento sob cujo teto vivi a maior parte da vida, minha mulher me trocou por um poeta curitibano (isto é, trocadilhista), os amigos que consegui amealhar à custa do patrocínio de rodadas de álcool nos inferninhos da Saldanha foram pouco a pouco desaparecendo, e, por fim, na última quinta-feira, extraviei o amor-próprio num bueiro ali perto do Torto. 
Agora moro na rua, dentro da Electrolux Frost Free 400 L q comprei em dez vezes sem juros nas Casas Bahia.
A verdade é que só as geladeiras são fiéis.

(Tungzténio P. Garcia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *