Em que se demonstra como um abnegado arruinou seu casamento para evitar que a tuberculose dizimasse a humanidade

Em 1882, Robert Koch passava as madrugadas debruçado sobre seu microscópio no Departamento Imperial de Saúde, em Berlim.
Desvendava ali os meandros da vida minúscula.
Levava muita galha da mulher por esse motivo, mas se mantinha fiel à ciência.
Numa dessas madrugadas, diante de uma forma biológica ainda não catalogada, o Dr Koch cofiou o bigode de forma mais demorada do que a habitual, e falou de si para si:

— Encontrei algo novo aqui. Como vou chamar este arranjo? Vírus? Fungo?


Passou o resto da noite fumando o seu maço de Minister e elucubrando, pois sabia que um mau nome podia jogar o trabalho de décadas na lata de lixo.
Esse episódio, dos mais significativos da história da medicina, ficou conhecido como o vacilo de Koch.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *