As armas precisam ser regulamentadas

Desde o instante zero, só me dou com salgueirenses. Quando nasci, olhei pro obstetra e perguntei:

– Tu é Salgueiro, sanguebão?

Ele titubeou e tentou dar um migué, mas percebi uma ponta verde e rosa escapando sob o camisolão de açougueiro.
Peguei o cordão umbilical, dei três voltas ao redor do esternocleidomastoideo do filhadaputa e tornei o mundo um lugar menos inóspito

3 Replies to “As armas precisam ser regulamentadas”

  1. linhas d’torres, 22 junho 2019

    eÇelentíssimo senhor engenheiro, Maurício d’Popija

    após tomar conhecimento desta sua nova e brilhante comunicação fui assaltado
    por um nobre sentimento que me determinou
    a abandonar o frango que preparava para o jantar
    em boa hora, confesso: o frango estava ainda
    congelado

    entretanto, posto assim cheio de confiança e, embora os capitais próprios sejam insuficientes, sinto-me disposto a investir na
    sua empresa de armamento
    e desse modo ajudar o senhor engenheiro a levar a sua obra a bom porto

    e pouco me importa se o relvado é azul, encarnado, ou se assim verde; o que me interessa, de facto, é o público alvo

    caro senhor engenheiro, digo-lhe, para terminar, que nos basta continuemos a respirar,
    mandar pintar a fachada dos escritórios e pendurar uma tabuleta com os nossos nomes
    que, se concordar, poderia ser
    assim:
    maurício & távora
    altos calibres, SA

    do que fico a aguardar as suas notícias e lhe apresento os meus melhores cumprimentos

    chambel d’távora

    1. Prezado colega engenheiro D’T

      É com lágrimas em dois terços dos olhos do corpo q recebo essa sua proposta comercial, lágrimas essas q, não sendo propriamente de alegria, se-lo-iam se o fossem, mas não o sendo, não o são.
      O hiposfagma ainda repercute, mas a trave de q nosso senhor JC falou, muito mais.
      Acabo de acordar, perdoe algum excesso, trago dentro de duas horas o contrato, as testemunhas e a bandinha de regozijo.

      Receba meu melhores protestos de estima e consideração,

      M Popigas
      CEO

  2. caro mui distinto colega,

    sei bem que não chegará a ser mais do que uma pobre e frustre tentativa de lhe dizer quão feliz me encontro
    por ter, vóÇa eÇelëncia, assim tão generosamente, aceite a minha proposta de integrar os corpos sociais da sua empresa de armamento de alto calibre, e pesado

    em todo o caso, digo
    e vou dizê-lo assim:

    o vasto conjunto da temperatura, da carne e dos músculos e das outras várias miudezas que envolvem o meu coração, estalaram e quase cederam de comoção ao saber da sua decisão

    agora que está dito não faço tensões de andar pra trás
    contudo, peço-lhe que se tiver de mencionar esta minha reacção, nomeadamente, para efeitos da escritura e dos registos notariais, o faça com alguma prudência
    pois, como saberá melhor do que eu, a sanha dos invejosos é terrível e os seus efeitos devastadores
    sobretudo, como é o caso, se se trata da indústria de armamento

    aproveito para o informar que já fiz alguns contactos aos meus amigos dos núcleos académicos de investigação
    que me garantiram o recrutamento de umas quantas e belas senhoras, consideradas as melhores cabeças, e facilmente excitáveis,
    a integrar uma empresa de ponta como é a nossa

    quanto ao resto, que será muito, pf, diga-me o que precisa
    pois pode contar com a minha total disponibilidade

    de si, senhor engenheiro, creia-me sempre muito atento

    chambel d’távora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *