Histórias de uma Curitiba Plural

Nossos Pequenos Amigos!

De acordo com a OMS, existem cerca de 30 milhões de animais abandonados no Brasil, entre eles 10 milhões são gatos e 20 milhões são cachorros. Isso mostra o quão necessário é o trabalho de ONGs, abrigos e protetoras, eles auxiliam na ajuda desses animais, para que consigam encontrar um lar. A maior parte desses abrigos consistem em prestar socorro a esses animais que se encontram em situações deploráveis, com fome, sede, frio, calor e maus tratos.

Mesmo com a ajuda desses abrigos, esses animais ainda sofrem muito, pois carregam traumas e os abrigos não conseguem dar a total atenção, como carinho, medicamentos e a alimentação necessária. Por essa razão, muitos abrigos ficam dependentes de doações, tais como, ração, cobertas, produtos de limpeza e até mesmo dinheiro! Uma dessas ONGs é a DNA (Dedicação Natural aos Animais) eles atuam há um ano, e já passaram em torno de 1000 animais por lá!

Outro super projeto é a Casa dos Gatos Curitiba, um projeto que atua há quatro anos e teve seu início no banheiro da responsável do projeto. Hoje eles têm espaço físico só para os gatinhos! Já foram mais de 1300 gatinhos adotados!! Podemos ajudar as ONGs e os animais que estão na rua, como colocar vasilhas de água na rua, cobertas em dias frios e se pudermos até uma comidinha. Esses animais precisam da gente!

Adotar animaizinhos é um ato de amor e muita responsabilidade! Eu, por exemplo, tenho 6 animais -todos foram adotados! Precisamos cuidar bem deles, sempre com muito amor e dedicação, tenho certeza de que eles vão demonstrar muito carinho e gratidão! Com isso vou deixar algumas fotinhas de alguns animais que precisam de uma família!

fêmea castrada, com 5 meses
macho castrado, com 3 meses
fêmea, castrada, 1 aninho
Ruby 11 meses, porte m/p
Bella 5 anos, porte m/p
Dengosa, 8 anos porte m/p

Morena Rosa

📍Curitibana, adoro escrever e amo gatinhos😽 Vou compartilhar algumas coisas com vocês!    

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo