Contra o assédio, campanha vai distribuir 10 mil tatuagens temporárias em Curitiba

Campanha Não é Não nasceu no Rio de Janeiro e neste ano chega a Curitiba (Foto: Divulgação)

Uma campanha contra o assédio sofrido por mulheres distribuirá gratuitamente 10 mil tatuagens temporárias com a inscrição “Não é Não” durante o período carnavalesco, em Curitiba. A ação chegou à capital paranaense graças a um financiamento coletivo que contou com o apoio de dez blocos de carnaval, três escolas de samba, um bar e três marcas curitibanas tocadas por mulheres. A distribuição já começou nos blocos de rua do pré-carnaval no fim de semana passado e deve ocorrer também quando houver desfile de escolas de samba na cidade. Neste ano, serão dois dias de desfile – 2 e 3 de março.

Nascido em 2017, no Rio de Janeiro, o “Não é Não” é um coletivo criado justamente depois que uma de suas idealizadoras sofreu um caso de assédio. Naquele ano, a campanha ocorreu apenas no Rio, mas em 2018 alcançou outras 5 cidades brasileiras – São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Olinda e Brasília. Em 2019, a iniciativa desembarca entre foliões de Curitiba, Belém, Salvador e Goiânia.

Atividades

Embaixadora da campanha no Paraná, Danielle Duarte explica que a entrega das tatuagens é feita por ela e parceiras que apoiam a causa e as diretrizes da ação. “A tatuagem do “Não é Não” é um movimento de mulheres para mulheres. Nosso intuito é formar uma rede de apoio silenciosa, em que possamos identificar nossas aliadas apenas no olhar, além de transmitir essa mensagem que deveria ser óbvia”, define.

Leia também: Tatuadora usa cores para reconstruir autoestima de pessoas que tiveram câncer

Danielle observa que o coletivo segue ativo durante o ano todo, mas a campanha ocorre com mais força no carnaval. É neste momento, pontua, que mulheres precisam repetir a frase da tatuagem mais vezes. “O carnaval é uma delícia e a gente quer aproveitar também. Queremos colocar nossas fantasias, nos acabar nos bloquinhos e sermos respeitadas. Nosso corpo não é folia de ninguém”, defende.

O grande objetivo do coletivo “Não é Não” é não precisar existir. A campanha deve distribuir em todo Brasil mais de 100 mil tatuagens temporárias no Carnaval 2019.

Sobre Antoniele Luciano 121 Artigos
Antoniele é jornalista, professora e mestranda em Estudos Literários. Na academia, pesquisa e escreve sobre autoria de mulheres negras. Fora dela, caça histórias de protagonismo feminino em Curitiba e onde mais possam estar.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.