Concurso: “O maior buraco de rua de Curitiba”

Este blog começa seus trabalhos abrindo uma competição entre seus leitores. A regra é simples: vence quem encontrar o maior buraco de rua dentro dos limites da excelsa capital de todos os paranaenses.

Ao vencedor caberá a honra da descoberta e um diploma de “Explorador das Mazelas Curitibanas”, a ser expedido pelo autor destas linhas. Um valor em dinheiro poderá ser negociado, chegando ao valor máximo de dois VTs (a depender dos humores da prefeitura, talvez não seja inteligente indexar algo à passagem do busão, mas vá lá, correremos intrépidos tal risco).

A definição de buraco me parece desnecessária. Cabe explicar que não interessa, para fins de premiação, a profundidade do buraco. O que conta é seu perímetro. Como a prefeitura não normatizou os buracos para que eles formem formas geométricas perfeitas, aceitar-se-ão medidas aproximadas.

Será necessário o envio de prova fotográfica do achado para falecom@plural.jor.br. A legenda deverá apontar o endereço da desgraça e a data em que ela foi encontrada.

E para os detratores do jornalismo de buraco de rua, uma mensagem: tentem morar na periferia pra ver se isso é realmente bobagem. Já há gente se afogando nos buracos como outrora acontecia só nas cavas.

O concurso ficará aberto por tempo indeterminado, até que este autor, arbitrária e monocraticamente, esteja satisfeito com os resultados.

E, para quem não participar, uma praga: que sua voz fique igual à do Sergio Moro, que seu terno seja igual ao do Bolsonaro e que você tenha o carisma do Henrique Meirelles.