As incertezas que rondam a venda da Repar

A Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) é a quinta maior do Brasil. Foi inaugurada pelo governo militar em 1977. Localizada no município de Araucária, no Paraná, faz parte das seis refinarias da Petrobrás construídas no período de 1961 a 1980. Outras seis indústrias foram erguidas entre 1954 e 1961. Por último, a Refinaria Abreu e Lima (RNEST), localizada na região Nordeste, ainda em fase de finalização, mas já operando, teve seu projeto iniciado em 2005.

Estas refinarias são responsáveis pela produção de aproximadamente 2,3 milhões de barris por dia de derivados de petróleo (diesel, gasolina, querosene, gás de cozinha, óleo combustível, asfalto, dentre outros).

Agora, você sabe como estes produtos chegam ao consumidor final?

Bom, o mercado do petróleo no Brasil é regionalizado. Significa dizer que é praticamente impossível a competitividade de mercado devido à estrutura logística instalada.

O problema é que as malhas de dutos não interligam refinarias e mercados. Na prática, o que acontece é o transporte desses produtos de regiões específicas para as unidades de refino, e vice-versa. Como comparativo, nos Estados Unidos, existem cerca de 141 refinarias, quase totalmente interligadas por dutos ou ferrovias, o que permite essa competição.  

Usando a Repar como exemplo, há cinco terminais logísticos interligados ao complexo em Araucária através de três oleodutos (um entre a refinaria e o Terminal de Paranaguá, outro entre a refinaria e o Terminal de São Francisco do Sul – Santa Catarina; além da conexão da Repar com outros três Terminais de Distribuição em Guaramirim, Itajaí e Biguaçu, também em SC).

Outra interligação, através de tubulações, existe entre a refinaria e as bases de distribuição de combustíveis em Araucária.

Esse modelo foi pensado e construído para abastecer todo o território nacional, não para gerar concorrência, e foi determinado desde a criação da Petrobrás (1953), no governo de Getúlio Vargas (Lei 2004/53). O principal objetivo era garantir o abastecimento de derivados de petróleo para toda a população brasileira.

Petrobrás hoje!

Esse conceito de abastecer a população brasileira mudou nos últimos dois anos. O governo colocou à venda oito das 13 refinarias da Petrobrás, incluindo a Repar. Essa situação causa uma série de incertezas e receios quanto ao futuro das milhares de pessoas que dependem da refinaria para garantir seu sustento.

Algumas medidas atingem diretamente os trabalhadores (próprios e terceirizados), que não sabem se manterão seus empregos. Outras atingem os empresários que têm algum contrato com a Repar, pois não sabem se a empresa compradora manterá os atuais contratos.

Na verdade, caso essas medidas do atual governo se concretizem, toda a sociedade brasileira será impactada. Os preços dos combustíveis, por exemplo, continuarão sendo determinados pelo mercado internacionais, mesmo produzidos no Brasil; ou seja, quem irá ditar as regras serão os interesses corporativos das empresas estrangeiras e não mais da população.

Repar

Um cenário possível em Araucária é a paralisação da produção de combustíveis, já que a empresa compradora pode importar derivados de suas refinarias instaladas na Europa, por exemplo. Basta utilizar a malha logística pronta e o sistema de tancagem (armazenamento).

Só para se ter uma ideia, na Noruega, Alemanha e França, estão sendo aprovadas leis com o intuito de modificar a frota de veículos para modelos híbridos ou elétricos. Isso causa uma redução na venda de combustíveis, forçando as empresas petrolíferas a buscar outros mercados.

Portanto, a venda das nossas refinarias é, na verdade, uma transferência do mercado consumidor. Aí vem o questionamento: é vantagem abrir mão dos milhares de empregos da população brasileira e da geração de impostos para os nosso estados e municípios para salvar o problema de outras nações?

Uma coisa é certa: o Brasil ficará muito mais dependente da importação de combustíveis para abastecer seus automóveis. É urgente defender nossos interesses e nossos empregos! Defender a Petrobras é defender o Brasil!