Fascículo 31: o partido de Bolsonaro, Toffoli e o Coronel Tadeu

38: Número oficial do Aliança pelo Brasil, um partido político brasileiro, ainda em construção. De ultradireita, foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro, em 12 de novembro de 2019, ao declarar a sua saída do Partido Social Liberal. Membros do partido ainda tentaram um calibre maior, como o .44, mas o TSE só o concederia se a agremiação tivesse exclusivamente militares na ativa ou milicianos. O slogan do APB-38 será “o voto ou a vida” e os afiliados esperam que seu fundo partidário arrecade uma bala até 2022.

ÉGUA SARNENTA E DESDENTADA DA SUA MÃE: Modo polido como altas autoridades brasileiras dirigem-se a indivíduos que eventualmente os critiquem durante discussões públicas.

TOFFOLI: Em italiano, sujeito que vai para frente com ímpeto fremente para, em seguida, recuar de modo vigoroso e inesperado. Sinônimo de ioiô.

PAPAI NOEL DA HAVAN: Ser mítico inventado pela Igreja Católica Apostólica Romana, Coca Cola e aperfeiçoado pelo Veio da Havan. Na versão de 2019 idealizada pela Havan, o Bom Velhinho, em vez de traje vermelho e branco, terá a roupa toda em verde e amarelo. Em seu saco de tecido, ao contrário de presentes, trará uma sub-metralhadora e pentes de bala.

CARTUM: Obra visual que deve ser arrancada das paredes de uma exposição de arte caso desagrade algum deputado coronel. Ver Deputado Coronel Tadeu.

DEPUTADO CORONEL TADEU: Caricatura de fascista. Ver Cartum.

LUCIANO HANG: Empresário e palhaço. Recentemente criou a prática de bater continência e marchar diante das estátuas da Liberdade norte-americanas de suas lojas. Tudo ao som de hinos militares e patrióticos. A expectativa é que o Veio da Havan substitua, até 2022, o Duque de Caxias como patrono do Exército brasileiro.

TREM BALA: Obra que o governo Bolsonaro sonha realizar até 2022 inicialmente ligando Rio das Pedras a Queimados.

UNIVERSIDADE FEDERAL: Instituição de formação de quadros profissionais de nível superior, de investigação e de cultivo do saber humano. No Brasil, a definição dessas instituições ganhou um novo sentido. Segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, as universidades federais são locais onde planta-se grandes áreas de maconha, “a ponto de precisar borrifador de agrotóxico”. A afirmação de Weintraub leva a imaginar que a definição de reitor deverá ser repensada e talvez passe a ser a de produtor de conteúdos psicoativos para universitários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *