Fascículo 33: O decálogo do verdadeiro fascista

BRASIL SEM MEDO:  O “O Pasquim” do neofascismo.

CARLA E JOICE: Modelo mais perfeito de sororidade já visto desde o início da administração Jair Bolsonaro.  

CANGURU PERNETA: Animal que julgavam estar em extinto, mas que foi recentemente encontrado numa salinha da Câmara Federal em Brasília. 

DECÁLOGO DO VERDADEIRO FASCISTA:

I. O fascista nunca diz que é fascista.

II. Se instado a declarar suas preferências políticas, o fascista deve negar até a morte que é reacionário, misógino, racista e miliciano.

III.  Não é porque é reacionário, misógino, racista e miliciano que o fascista deve ser mal humorado. Em especial nas redes sociais deve mostrar que sabe contar piadas e fazer graça como um comediante. Isso  o ajudará a obter mais seguidores em seu perfil – falso ou real.

IV. Um fascista deve ficar atento à mídia e devolver sempre, num tom acima, as eventuais críticas que receber de jornalistas e equivalentes. O ideal é adotar a estratégia “chame-os de fdp, antes que eles te chamem”. Só um fascista fake promove a concórdia.

V. Um fascista deve estar sempre perto de crianças. Abraçando-as, beijando-as e dizendo-lhes palavras carinhosas. Ao mesmo tempo precisa afirmar que seus inimigos as maltratam, aprisionam, exploram e – no caso específico dos comunistas – as almoçam.

VI. O fascista é o cabeça do casal heterossexual. Sua mulher deve saber apreciar a beleza da submissão. 

VII. Não é vedado ao fascista o contato com os homossexuais. Nessas ocasiões, contudo, ele usar de todos os meios para curá-los. 

VIII. A religião do fascista é a que melhor promover o fascismo no momento. 

IX. O melhor amigo do fascista é o robô-seguidor do Twitter. 

X. Um fascista desarmado é um galo sem esporas. Armai-vos uns aos outros. 

MAESTRO MANTOVANI: Inventor da fórmula: Satanismo = Rock + Sexo + Droga + Aborto. Promete transformar, em curto prazo, a Funarte em Fundação Nacional de Artes Menores. 

RAFAEL NOGUEIRA: Terraplanista, aluno de Olavo de Carvalho e novo presidente da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Estima-se que, com o apoio e a expertise do ministro do Meio Ambiente em incêndios florestais, consiga queimar todo o acervo da Biblioteca até o final de 2020. 

SÉRGIO CAMARGO: Afrodescendente de alma branca e reacionária.

Fascículo 32: Leonardo DiCaprio, Roberto Carlos e o dólar

CAPIM: Com o aumento dos preços da carne, uma das metas governamentais é levar a população a ter hábitos mais saudáveis ligados ao veganismo. O consumo de capim subsidiado é um dos caminhos, mas será destinado somente aos que provarem que votaram no presidente da república.

CARNE DE PANELA: Iguaria em que a carne custa mais caro do que a panela.

COAF: Espécie de KGB das finanças que teria a finalidade de investigar ocorrências suspeitas de lavagem de dinheiro, mas que, na verdade, objetiva desmoralizar a família do presidente da República.

DÓLAR: Índice econômico manipulado por George Soros para prejudicar países emergentes como o Brasil.

AI-5: Instrumento de governo. Deve ser usado em qualquer situação em que deva prevalecer a lei e a ordem. Por exemplo: óleo no mar; usa-se o AI-5 para limpar as águas. Incêndios florestais; usa-se o AI-5 para apagar os focos. Assinatura da Folha de S.Paulo em órgãos do governo; usa-se o AI-5 para fazer o cancelamento.

LEONARDO DICAPRIO: Culpado pelos incêndios na Amazônia, o que leva-nos a acreditar que Joe Pesci teria sido o mandante do crime de Marielle.

PÃO: Próximo item a ter elevação acentuada em seu preço, juntamente com as massas. O fenômeno do câmbio alto, no entanto, é extremamente benéfico ao país, segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes. Quando o dólar estiver valendo 10 reais já seremos uma colônia norte-americana e não precisaremos mais nos preocupar com decisões estratégicas, a responsabilidade será toda de Donald Trump.

PERRENGUE: Ação complicada ou difícil de ser resolvida especialmente para pessoas com salários acima de 33 mil reais, auxílio-moradia e verbas destinadas a despesas extraordinárias. 

ROBERTO CARLOS: Cantor e compositor reverenciado pela ditadura militar e que reverenciou recentemente o ministro Sergio Moro em seu show. Comenta-se que RC adaptará em breve a letra de sua canção “Jesus Cristo” para:

Olho pro céu e vejo
O Edir Macedo que vai voando
Olho na terra e vejo
Uma multidão inteira cantando:

Bolsonaro, Bolsonaro
Bolsonaro, eu estou aqui!