Fascículo 23: Discurso na ONU, I love you e PTinder

DISCURSO NA ONU: Ponto alto da diplomacia da ala “Macho Alfa” do Instituto Rio Branco. Defendeu a soberania nacional, peitou Macron,  chutou o popô de Angela Merkel e ainda sobrou tempo para vender o nióbio brasileiro. Desde Rui Barbosa, o famoso “Águia de Haia”, que nossa voz não era ouvida em fóruns internacionais de modo tão alto e, por que não dizer, grandiloquentemente desconcertante.

I LOVE YOU: Frase recente usada pelo presidente Bolsonaro para mostrar seu grande afeto ao presidente Trump. Como era de se esperar, comunistas infiltrados na ONU – que é sabidamente uma organização de esquerda – já passaram a maliciar. Quem conhece Sua Excelência sabe que, ao receber tais injúrias, ele apenas comenta com sabedoria: “a banana passa e os macacos ladram”.

KALAPALO: Atualização caraíba do índio Juruna que, em vez de gravador, usa o YouTube. Tribo amiga dos brancos, cristãos, capitalistas e que, por serem assim tão cooperativos, receberão sementes de soja para cultivar em seus milhares de hectares.

MALVINAS: Em setembro de 2019, o presidente Bolsonaro disse esta frase a jornalistas: “Assim como no passado as Malvinas estavam para a Argentina, hoje a Alemanha está para o Brasil”. A comparação deixou os profissionais de imprensa confusos. E, logo, as redes sociais passaram a compartilhar diferentes versões da fala. Teria o presidente dito que a Alemanha pertence ao Brasil? Ou que as Malvinas, hoje britânicas, seriam alemãs? Outras correntes viam a declaração mais no sentido de que a Amazônia, feito as Malvinas, ex-argentinas, poderia ser anexada pela Alemanha. O Dicionaro pediu a seus lexicólogos que esmiuçassem a expressão, mas mesmo esses experientes profissionais não chegaram a um consenso. Um especialista em James Joyce, que preferiu manter-se no anonimato, foi procurado. Para ele, o presidente Bolsonaro teria feito uma citação velada ao livro Tristão e Isolda. O fato provocou comoção no meio intelectual, que acredita ser impossível o presidente ter lido o livro. Se, nesse meio tempo, obtivermos um significado mais claro para a afirmação postaremos no Dicionaro, pois somos uma obra dinâmica que passa por constantes atualizações.

MÍDIA: Juntamente com o fósforo, a gasolina, o vento, os galhos secos e os índios, a mídia é uma das principais causadoras de incêndios na Amazônia Legal brasileira.

PTINDER: Em desespero por causa de sua queda imensa de popularidade junto aos eleitores, os petralhas decidiram criar um aplicativo de encontros sexuais entre comunistas. A extrema direita, apenas para mostrar o seu domínio tecnológico, lançará brevemente seu próprio app afetivo-amoroso, o PSLovers. 

Fascículo 22: CPMF, Felipe Neto e LGBT

CIDADÃO DE BEM: Toda pessoa heterossexual, branca, de classe média alta, que não está sendo investigado pela Lava Jato e não simpatize com comunistas, artistas e ambientalistas. Ver Cidadão do Mal.

CIDADÃO DO MAL: Toda pessoa que for o oposto de um cidadão do bem. Se, além de tudo, ainda for favelada deve ser interrogada e cadastrada no serviços de inteligência do Estado.

CPMF: Contrapartida Pela Minha Facada.

ESPAÇO PÚBLICO:  Em 2019, o espaço público são as redes sociais e seus tuítes, GIFs, memes, vídeos ou zaps usados livremente para compartilhamento de fake news. No espaço público das redes pode-se democraticamente publicar qualquer coisa. Uma piadinha, uma ameaça de morte, bichinhos estúpidos, imagens violentas ou citações adulteradas são a mesma coisa. Brasil acima de tudo, emojis acima de todos. 

FELIPE NETO: Grande comerciante de livros que possui um canal no Youtube. 

LGBT: Letras que, no próximo acordo ortográfico a ser proposto pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, devem sair do alfabeto português brasileiro. 

NORDESTE: Região brasileira que abrange Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia. Lá vivem cidadãos, os chamados cabeça chata, que não apoiam avanços importantes em seu país, como a Reforma da Previdência e a confirmação do deputado Eduardo Bolsonaro ao cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Enquanto pensarem assim terão suas verbas federais diminuídas em relação a outros estados da federação. 

OMS: Mais conhecida como Organização Mundial de Saúde e local onde a equipe médica do presidente preferia que ele discursasse, em vez da ONU. Outras opções sugeridas foram a sede da Cruz Vermelha e os Médicos Sem Fronteiras, em Nova York. Para chegar a um meio termo, o presidente propôs que sua fala poderia ser no edifício do FBI. Até o fechamento deste verbete ainda não havia-se definido o local do discurso.

TRANSFORMAÇÕES: Não acontecerão pelas vias democráticas, muito menos pelas vias competentes. Quiçá virão pelas vias biliares, hepáticas ou intestinais.

TV BRASIL: Rede de televisão pública brasileira operada pelo Governo Federal. A programação é diversificada, com produtos televisivos sobre música, culinária, história, desenhos animados, telejornais e programas esportivos. Mas a a maior parte de sua grade é voltada a entrevistas, talk-shows, ping-pongs e matérias especiais com o deputado Eduardo Bolsonaro. 

Fascículo 21: Adorno, Beatles e as Margens Flácidas

ÀS MARGENS FLÁCIDAS: Versão bolsonarista de um verso do hino nacional brasileiro: “ouviram do Ipiranga, às margens plácidas…” O presidente explicou-se após entoar essa variante da letra de Osório Duque-Estrada. Afirmou que, na verdade, quis passar a ideia de que as margens do rio Ipiranga são fofas. E que, mais uma vez, a Extrema Mídia tentou desclassificá-lo. “Mas o nosso povo heróico, ainda vai dar um brado titubeante e acabar com essa babaquice dos jornalistas”- concluiu.

BEATNIKS: Grupo de elementos perturbados mentalmente que se faziam passar por artistas nos anos 1950. Um de seus passatempos preferidos era brincar de “Guilherme Tell”. Colocavam alguém em sua frente e disparavam uma pistola na cabeça da vítima. Ver Satanismo.

IRRUUUU!: Interjeição presidencial que pode ter diversos sentidos, mas nenhum deles faz o menor sentido.

NEGACIONISMO CLIMÁTICO: O pensamento daqueles que negam a realidade do aquecimento global. Os argumentos dos negacionistas são fruto do conhecimento de importantes estudos feitos pelos melhores climatologistas da atualidade, entre eles a Climatempo e Maju Coutinho. Um dos mais fervorosos negacionistas é o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Sua ortodoxia é tamanha que, além de negar o tempo, ele nega também o espaço. Para o ministro, na realidade, estamos no tempo dos cavaleiros do Santo Graal e o Brasil seria a Gália.

PISTOLA AUTOMÁTICA: Arma de fogo que dispara um projétil e introduz novo disparo na câmara, permitindo vários tiros consecutivos sem que se precise acionar o gatilho mais de uma vez. A chamada “automática” foi introduzida pela primeira vez num ambiente hospitalar pelo visionário deputado Eduardo Bolsonaro, futuro embaixador do Brasil nos Estados Unidos da América. 

THE BEATLES: Conjunto musical inglês criado no final dos anos 1950 em Liverpool. Como tudo o que é inventado na Europa, em especial pelos membros da Escola Comunista de Frankfurt, é mais um produto do marxismo cultural que visa tomar o poder a qualquer preço. Segundo importantes astrólogos, os Beatles não passaram de drogados que não sabiam escrever e nem mesmo tocar violão de uma maneira decente.Durante 30 anos, Theodor Adorno mentiu que era filósofo e, enquanto isso, compunha  canções como A day in the Life, Lucy in the sky with diamonds, Yellow Submarine, entre outras. Herbert Marcuse foi o criador do Led Zeppelin e idealizador do rock progressivo, para ele uma forma metafísica de disseminação do LSD nas sociedades ocidentais. Max Horkheimer, além de ghost-writer de Bob Dylan, era avô de Ozzy Osbourne.

Fascículo 20: Amazônia, cocô de índio e Bachelet

AMAZÔNIA: Também chamada de Floresta Amazônica ou Selva Amazônica é um enorme bioma, que já foi úmido, mas que agora é inflamável. A bacia amazônica abrange 7 milhões de quilômetros quadrados, dos quais 5 milhões e meio de quilômetros são cobertos pela floresta tropical. Até 2020, a meta governamental é inverter esses números. Seriam 2 milhões de florestas tropicais e o restante de pastagens para gado. A exemplo do que a S.E. Palmeiras fez com seu estádio, o ministério da Economia também tem intenção de vender o nome do local, que poderá se chamar Floresta JBS ou Selva Friboi. Os ganhos com a operação seriam realocados na compra de colheitadeiras e tratores para aragem. Se quisermos ter paz nessa região precisamos nos preparar para a guerra com a França. Esse país inimigo já revelou o interesse de internacionalizá-la. Para demonstrar seu desacordo com os desejos do presidente socialista Emmanuel Macron, o presidente brasileiro, além de lavar as mãos, cortou os cabelos.

AUGUSTO ARAS: Advogado indicado pelo presidente para assumir o cargo de Procurador-Geral da República e fiscalizar o haras que se tornou o Judiciário no país. 

BABAQUICE: Qualquer coisa que não contemple o conceito “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

CÍVICO-MILITAR: Termo que traduz a principal filosofia do governo. Pode ser agregado a qualquer coisa. Exemplos: escola cívico-militar, berçário cívico-militar, borracharia cívico-militar, Uber cívico-militar, prostíbulo cívico-militar, entre muitos outros.

COCÔ PETRIFICADO DE ÍNDIO: Excrementos antigos de silvícolas que impedem obras estratégias para a pátria de saírem do papel. A causa é a obstinação fanática de laudos ambientais da Funai e de ONGs esquerdistas financiadas pela França, Alemanha e Cuba. 

EJACULAÇÃO PRECOCE: Ato de chegar aos finalmente, durante uma suruba, de forma rápida, incontrolável e inesperada. Ver Candidato Dória e Alexandre Frota.

FABRÍCIO QUEIROZ: Paciente do Einstein.

FEIURA: Qualidade da primeira-dama francesa; fealdade, feiume.

MAIS MÉDICOS: Programa petralha que objetivava formar núcleos médicos de guerrilha no Brasil. A ditadura castrista treinava esses profissionais para implantar uma tirania em nossa nação e a revolução marxista-maoísta seria deflagrada, a qualquer momento, na frente do Hospital petista Sírio-Libanês, em São Paulo. 

MEC: Ministério Extraordinário de Cortes

MICHELLE BACHELET: Pronuncia-se baquelê, sobrenome de origem comunista. Michelle é uma comunista, filha de comunista, que queria transformar o Chile num país comunista repleto de vagabundos comunistas. Felizmente, o general Pinochet, um anticomunista, não permitiu a farra comunista. 

RODRIGO MAIA: Parlamentar chocólatra que chora ao ser homenageado por Alexandre Frota. 

Fascículo 19: Jair Bolsonaro

JAIR BOLSONARO:  nascido em 21 de março de 1955 em Campinas é um político que foi eleito presidente do Brasil em outubro de 2018. Nacionalista de direita, defensor da lei, da ordem e do cocô dia sim, dia não, o ex-capitão do exército expressa grande admiração pelo regime militar que governou (sic) o Brasil de 1964 a 1985.

Bolsonaro cresceu em Eldorado, uma cidade na floresta tropical atlântica. Foi ali que iniciou suas primeiras queimadas, ainda bastante pueris, tímidas e localizadas. O pai praticava Odontologia, sem diploma, o que levou a família a ter que se mudar várias vezes de cidade em função das ameaças dos banguelas, furiosos com os serviços do consultório paterno.

Jair Bolsonaro então serviu o exército por 17 anos, incluindo um período como paraquedista. Em seu Esquadrão era conhecido por saltar dia sim, dia não. 

Em 1990  elegeu-se deputado no Rio de Janeiro. Começou a estabelecer uma reputação de defesa de posições profundamente conservadoras sendo rotulado pelos críticos de misógino, homofóbico e racista. Sempre negou as acusações de forma enérgica tentando bater em mulheres, xingando gays e fazendo piadas raciais infames. 

Entre as muitas observações controversas que fez ao longo dos anos foi a afirmação de que “seria incapaz de amar um filho homossexual” e que preferia que ele morresse em um acidente em vez de “aparecer com um homem bigodudo”. Até o momento não ficou claro se, caso o filho aparecesse com um homem sem bigodes, seria amado e perdoado. 

Certa vez uma deputada o chamou de estuprador. Bolsonaro respondeu: “eu não a estupraria porque você não merece”.  Depois justificou que a parlamentar não era “seu tipo”, o que aumentou a dúvida sobre se Bolsonaro seria um estuprador seletivo, um estuprador-raiz ou apenas um estuprador habilidoso com as palavras.

Depois de ganhar apoio da população cristã evangélica decidiu candidatar-se a presidente da república. 

Em 6 de setembro de 2018, quando fazia campanha em Juiz de Fora, foi esfaqueado. Os ferimentos exigiram cirurgia. Em função do atentado foi o primeiro político do mundo a fazer campanha deitado numa cama de hospital e alimentado-se apenas à base de pão com leite condensado. 

Com a saída de Lula da corrida presidencial, tornou-se o favorito no pleito. A disputa com Haddad, em 28 de outubro de 2018, terminou com Bolsonaro obtendo mais de 55% dos votos e tornando-se presidente eleito. 
Desde então, dia sim, dia não, o Brasil tem uma dor de barriga.