Sesc Paço da Liberdade lança playlist com artistas que tocaram por lá

Desde sua reinauguração, em 2009, o Sesc Paço da Liberdade se tornou um lugar rico em produção e divulgação cultural, de diversas áreas, e querido – por conta do charme e do cafezinho. Fechado durante esta pandemia que parece interminável, o Paço criou uma seleção de músicas de artistas e bandas que passaram por lá nestes 11 anos, seja na Sala de Atos, na Praça Generoso Marques ou no Café do Paço.

Disponível no Spotify, a lista tem subdivisões: “Outros passarão, eu passo” e “Um passo a mais” são baseadas em artistas “com um ou dois pés em Curitiba”, caso de Roseane Santos, Iria Braga, Raissa Fayet, Anacrônica, Mulamba, Poléxia, Bernardo Bravo, Ímã, Banda Gentileza e Charme Chulo. “E não me falta o passo” e “Nunca perca o passo” reúne bandas e artistas que se apresentaram no espaço, caso de Tuyo, Maglore, Lemoskine, Leo Fressato, Farol Cego, Peixe Cobra, A Banda Mais Bonita da Cidade, Rubia Divino, Julio Borba, Marcelo Jeneci e Dingo Bells. Já “Canções estúdio do Sesc Paço da Liberdade” apresenta uma seleção com álbuns produzidos no estúdio do Sesc, caso de “Lover Haus”, de Conde Baltazar, “Cortinas Abertas”, de Ravi Brasileiro e “Você?”, de Marcelo Brum-Lemos. Por fim, “Instrumental” apresenta faixas… instrumentais também gravadas no estúdio do espaço, do choro à música clássica.

Banda Mulamba em apresentação no Paço, em fevereiro de 2019. Foto: Luciano Meirelles/ Hai Studio.

Foram mais de 1.100 apresentações no Sesc Paço da Liberdade desde 2009. A média da ocupação da Sala de Atos gira em torno de 80%, confirmando o local como ponto de encontros afetivos e de borbulho cultural de qualidade – ingressos acessíveis ou gratuitos colaboram com os números.

Durante este período de isolamento, o Sesc Paraná lançou o Fique em Casa, com dicas e atividades para a quarentena. Uma newsletter do Paço também está sendo produzida neste período – para se inscrever e receber o material, basta mandar um e-mail para [email protected].

Por meio deste mesmo e-mail, é possível apresentar uma proposta para tocar no espaço (depois da reabertura) ou gravar um disco. A utilização do estúdio é gratuita e o limite é de 100 horas por projeto.

Cristiano Castilho

Cristiano Castilho é jornalista formado pela UFPR e pós-graduado em Jornalismo Literário pela ABJL. É autor do livro "Crônicas da Cidade Inventada e Outras Pequenas Histórias" (Arte & Letra).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo