Dicionaro – Fascículo 4

ASTRONAUTA: ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações que encontra-se perdido no espaço desde 1º de janeiro de 2019.

EDUCAÇÃO: excrescência tratada até então como área essencial ao país, mas que passará a ser considerada supérflua. Exceção feita aos colégios militares e às faculdades de engenharia, veterinária e medicina. Quem quiser ser filósofo que vá para a Grécia.

GARUPEIRO DE ROLLS-ROYCE: Um dos muitos apelidos do vereador Carlos Bolsonaro. Ver também: Carluxo, Tonho da Lua, Hello Kitty, Rambo.

HORÁRIO DE VERÃO: invenção petralha para simular economia de energia.  Seu decreto foi revogado pelo presidente da república em abril de 2019. Medidas efetivas de economia energética serão tomadas ainda esse ano, como apagões compulsórios em cidades com mais de um milhão de habitantes, em especial do Nordeste ou onde o presidente foi derrotado pela esquerda nas eleições.

IDIOTA ÚTIL: brasileiro inútil para a atual administração; pessoa que não sabe quanto dá 7 vezes 8. Antônimo: indivíduos que sabem que 35% de 100 é 3,5. 

JUIZ DE FORA: a Dallas brasileira. Ver Adélio, faca, atentado, Mossad, fakeada, colostomia, Psol, Jean Wyllys.

MARRECO:  espécie de pato de pequena dimensão. O marreco é francamente migratório e adora formar bandos. Decola com grande facilidade do âmbito do Judiciário Federal para o Executivo, mais tarde voltando para aterrissar em suas origens, sem ter sido perturbado ou depenado. O habitat preferido desse minipato são os beirais dos palácios.

MICROPÊNIS: também chamado de maxiclitóris é um órgão sexual masculino com dimensões risíveis. Há uma polêmica histórica sobre qual seria o tamanho ideal desse órgão. Contudo, a maioria dos pesquisadores acredita que, se ele conseguir uma penetração, pode ser tachado de pênis. Se não efetivá-la seria um clitóris, tamanho Extra Large, no corpo de um homem. Ver Patrícia Lelis.

RACHADINHA: canal que vai da Assembleia Legislativa até o caixa eletrônico do banco.

TELEFONE: meio de telecomunicação que transmite sons através de sinais elétricos nas vias telefônicas. Foi inventado por Graham Bell e é atualmente usado pelo atual presidente para desautorizar decisões de ministros.

Carlos Castelo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo