Convocatória Para o Desentortamento das Circunstâncias ou o que For Possível

Carta tridirecional
Às lustrosíssimas abóbadas cranianas de
Carlos Leite & Chambel D’Távora & Prof Ratatui
Nesta

Senhores,

Apelo (verbo) à vossa sensatez, isto é, apelo ao que não existe, isto é, apelo a Deus Nosso Senhor Todo Poderoso, neste ato representado por três de Seus filhos menos amados, vós
Paguei 6,66 por um chocotone fora de época e pelo olho do cu dei à luz o demônio aveludado cor de tijolo e pôr-do-sol
(marimbas e balalaicas gemiam),
depois passei a tarde compondo sinfonias destinadas a pessoas com perda auditiva induzida pelo ruído, a orquestra em modo anfetamina, proteção auricular dupla, tipo uma DP das orelhas mas sem o risco de alguém sair magoado como acontece nas surubas convencionais
e, então, de repente

o torcicolo
m’entortou o pescoço
e minha visão do mundo
ficou limitada à metade esquerda dos acontecimentos
lulalivre

(poema engajado mentiroso)

Desejo saber: aderis a ou refutais tudo?

Atenciosamente,

Tungzténio P. Garcia
Terapeuta de Ressignificação

Maurício Popija

Um comentário em “Convocatória Para o Desentortamento das Circunstâncias ou o que For Possível

  1. caro e sempre amigo Maurício
    du d’Pipita
    obrigado pela sua carta

    já sabe: a gente com fórmulas não consegue responder cabalmente ao que nos é pedido
    ainda por cima, respondo escrevendo-lhe a correr

    hoje, tive uma notícia alegre
    que, em tudo, é igual à sua:

    consta que o nóÇo mui qrido
    Carlos grego
    quando se preparava para fazer mais um daqueles seus longos e chatos discursos na academia
    lhe deu, assim súbita inoportunamente, uma valente dor de barriga e vai cagou-se todo perante a assistência
    que, atónita, abandonou a sala num instante

    o manel do ó telefonou a saber se era verdade que
    se tinha cagado
    pois queria ajudar
    não pude confirmar, é claro

    aparte os sustos que tenho apanhado ( a semana passada cheirou-me a esturro
    esta semana, a toucinho rançoso e ontem não se podia com o vento na biscaia ), continuo na maior a comer cacau todas as manhãs e a ouvir na telefonia as habituais desgraças que vão pelo mundo
    intercaladas com anúncios de emagrecimento, e assim

    posto o que, meu caro, eu é que lhe pergunto: adere ou refuta tudo?

    no resto, não olhe a despesas que isso é coisa de gente pobre

    beijos à eÇelentíssima sua senhora dona Renata
    d’Monocelha
    e pra si um apertado, saudoso, viril e admirativo abraço do seu távas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo